Festa cívica marca solenidade de entrega da Medalha JK em Diamantina

Moradores de Diamantina e agraciados destacam legado de Juscelino Kubitschek

Uma festa cívica marcou a solenidade de entrega da Medalha JK, neste sábado (12/9), em Diamantina, encerrando a Semana JK, em que se comemorou os 65 anos de eleição de Juscelino Kubitschek ao governo mineiro e suas grandes obras.

Agraciados exaltaram o legado do ex-presidente e ex-governador Juscelino Kubitschek, o JK. Após receber a Medalha de Honra, a integrante da comunidade quilombola Mata dos Crioulos, localizada na Serra do Espinhaço, em Diamantina, Jovita Maria Gomes Corrêa, se disse emocionada. “É a primeira vez que recebo uma medalha do Estado. Fiquei muito feliz em saber que a nossa luta está sendo recompensada”, afirmou. O professor e escritor Jacinto Guerra, autor de dois livros sobre a vida e o legado de Juscelino, também se disse lisonjeado por receber a Medalha de Honra. “É uma emoção muito grande estar na terra de JK. Me sinto honrado”, afirmou o escritor.

Condecorado com a Medalha de Honra, o desembargador Pedro Aleixo Neto, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), falou sobre a importância da homenagem. “É uma grande honra. O governador Fernando Pimentel está realizando uma excepcional administração. Eu me sinto muito prestigiado por mais esta honraria. Tenho apenas palavras de agradecimento”, disse. O superintendente Regional da Polícia Federal em Minas Gerais, Sérgio Barboza Menezes, também falou sobre o privilégio de receber a Medalha de Honra. “É uma grande alegria, como superintendente da Polícia Federal, ter o reconhecimento do nosso trabalho dedicado a Minas Gerais. Estamos muito felizes por estarmos na terra de JK”, enalteceu.

Os moradores de Diamantina também enalteceram o legado de Juscelino. “Essa é uma festa de todo o Estado mas, principalmente, do povo diamantinense. É preciso preservar a memória e os ideais de Juscelino”, afirmou o aposentado José Eustáquio Freire da Silva, de 73 anos. Para a dona de casa Maria do Anjos Santos Barbosa, de 56 anos, Juscelino “representa os sentimentos de mineiridade e de brasilidade. JK é filho da nossa terra, merece todas as reverências”, disse.

 Sentimento de brasilidade

A visão de futuro e a dedicação de Juscelino Kubistchek a Minas Gerais e ao Brasil foram lembrados também pelo prefeito de Diamantina, Paulo Célio de Almeida Hugo (PSDB). “Deixemos infundir em todos nós o sentimento de brasilidade, pois o país está acima de todos. Cultivemos a credibilidade, sejamos otimistas, exercitemos a construção da confiança e da credibilidade”, disse Paulo Célio.

O governador Fernando Pimentel, também reverenciou JK declarando ser ele uma referência de fortíssima atualidade. “A vida desse mineiro, ilustre e admirado, nos lembra que os trechos difíceis da história são justamente os que pedem aos cidadãos e cidadãs maior solidariedade e participação, mais lucidez e mais serenidade para resolver os problemas da economia. Encravados por entre os inúmeros desafios que o mundo hoje enfrenta, o Brasil deve buscar ânimo na resistência e na perseverança de Juscelino”, afirmou.

A Medalha JK foi criada pela Lei nº 11.902, de 1995, sendo entregue pela primeira vez em 1996. A cerimônia é realizada anualmente, no dia do aniversário do ex-presidente, nascido em 1902 – há 113 anos.

A honraria é dividida nos graus “Grande Medalha” e “Medalha de Honra”. Entre os condecorados estão personalidades e instituições do cenário político, econômico, social e cultural do Estado e do país. Nesta edição, 86 pessoas e instituições foram agraciadas.

Após a abertura do evento, com as honras militares e a execução do Hino Nacional, apresentado pelo Grupo Arte Miúda de Diamantina, o governador conduziu a entrega das medalhas e, em seguida, acompanhou o desfile da Guarda de Honra. A solenidade – que neste ano teve com orador oficial o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Adalclever Lopes – encerra as comemorações da Semana JK.

Confira aqui a íntegra do discurso do prefeito Paulo Célio.