Prefeito solicita apoio do Conselho de Saúde para ocupação da UPA

O prefeito Paulo Célio participou na última quarta-feira (02/03), às 14h, da reunião extraordinária do Conselho Municipal de Saúde de Diamantina realizada, a seu pedido, para tratar de assuntos referentes a UPA. Abriu a reunião o secretário executivo Dalgésio João dos Santos representando o presidente Juliano Pedro da Silva, que leu a pauta e passou a palavra ao prefeito.

Diante do Conselho, Paulo Célio expôs as dificuldades financeiras para colocar a UPA em funcionamento.  Para abri-la a UPA custaria ao município, cerca de 1,3 milhão mensal, sendo que a União contribuiria com R$ 500 mil, o Estado com R$ 125 mil e Diamantina teria que arcar com R$675 mil , valor que infelizmente a prefeitura não dispõe e que inviabilizaria as verbas destinadas ao Hospital e Santa Casa.

Buscando apoio do Conselho, relatou ainda aos conselheiros pacto feito com as prefeituras de Barbacena e Curvelo que vivem o mesmo drama de Diamantina. Diante da impossibilidade financeira de abrir a UPA, os três gestores municipais, propõem a ocupação do espaço físico com outra finalidade na área de saúde. “É questão de probidade administrativa, não podemos deixar a estrutura da UPA deteriorar pela falta de uso e deixar a população privada de ter um estabelecimento de saúde, que possui uma estrutura adequada, maravilhosa para atender a comunidade.”  Contou, ainda que apresentou a proposta no 106º Encontro de Prefeitos das Cidades Polo de Minas Gerais e que obteve total apoio da Frente Mineira de Prefeitos que aprovou a ideia por meio de moção.

Após o relato do Prefeito, os conselheiros aprovaram o projeto e por unanimidade deram apoio à ocupação. A princípio o prédio deverá ser destinado para funcionamento da Policlínica, Samu e Caps Renascer.